Eventos digitais: alternativa ou mudança de paradigma?

Eventos digitais: alternativa ou mudança de paradigma?

A pandemia de Covid-19 levou a grandes mudanças no mundo dos negócios em geral e, muito em particular, no mundo do marketing e na forma como as marcas comunicam. A imposição do digital tornou-se mais clara e, no que toca aos eventos, tornou-se mesmo mandatória. Contudo, fica a pergunta: devemos mesmo apostar nos eventos digitais? Houve, de facto, uma mudança de paradigma ou estamos perante uma alternativa passageira?

Não é novidade que a pandemia arruinou, desde meados de março, o negócio dos eventos presenciais. Porém, esta impossibilidade de as pessoas estarem juntas trouxe novas oportunidades para estas se ligarem online. Os eventos, sejam webinares, conferências ou sessões de esclarecimento, mudaram-se massivamente para o mundo digital e agora a luta que se impõe é tornar estes eventos o mais atrativos possível, tendo em conta que retiramos da equação o (grande) fator presencial.

Será este o futuro? É impossível dizer, mas é possível fazer bons eventos digitais e conseguir gerar interação e interesse dos participantes.

E há várias vantagens associadas, nomeadamente:

  • A possibilidade de chegar a um maior número de pessoas;
  • Redução de custos inerentes ao aluguer de espaço, caterings, produção de materiais gráficos e merchandising;
  • Agilidade no planeamento do evento;
  • E a possibilidade de fazer perdurar no tempo o evento, com conteúdos que alimentem o seu público e criem buzz à volta do mesmo.

Por isso, aqui ficam algumas dicas para que construa um evento online cheio de sucesso e para que possa divulgá-lo de forma eficaz:

1. Conceito

Desenvolva bem o conceito do seu evento, respondendo à pergunta: o que é que o vai tornar único? E transponha isso também para uma estratégia bem definida, um nome apelativo e para a imagem que quer associar ao seu evento. Sim, isto quer dizer que deverá criar uma brand persona para o seu evento. Pode saber mais sobre este conceito aqui.

2. Público-alvo

Tal como em qualquer estratégia de marketing, deve saber para quem está a falar. Quem quer impactar com o seu evento? O mercado b2b ou b2c? Qual é o seu público-alvo? Em que empresas trabalham os seus potenciais participantes? Quais são os seus interesses e aspirações? Aqui, entra, então, a persona do seu evento. E para a criar poderá usar o template que disponibilizamos aqui.

3. Experiência

Tudo se resume à experiência que quer dar ao utilizador. É muito importante que pense bem na dinâmica que quer dar ao seu evento e quais as funcionalidades que terá. Os participantes poderão contactar-se uns aos outros? Contactar outros parceiros/expositores virtuais do evento? Vai ter realidade virtual? Uma app? Os conteúdos vão estar disponíveis no futuro?

4. Relevância do conteúdo

Hoje, há tanta informação e tantos eventos online que não vai querer que o seu seja apenas mais um. Esteja consciente de que ter bom conteúdo é tudo: escolha um tema que esteja na ordem do dia e que seja revelante para o seu público-alvo e para o seu setor de atividade e convide oradores com uma voz ativa sobre o tema. Crie conteúdos interativos à volta do tema chave e envolva todos os participantes numa discussão aberta e transparente.

5. Divulgação

Não menos importante é a forma como decide divulgar o seu evento. Em primeiro lugar, é importante envolver todos os membros da sua organização no evento – afinal, quem melhor para fazer publicidade ao trabalho da sua empresa? Depois, é importante desenvolver uma boa campanha de marketing 360, que inclua divulgação offline e online, divulgação orgânica das redes sociais, plataformas de eventos, campanhas digitais pagas e ainda nos media (pago e não pago). Neste último, é de interesse para si conseguir um meio de comunicação (ou mais) que possa ser media partner do seu evento, de forma a aumentar ainda mais o alcance do mesmo.

6. Feedback

No final do evento, é sempre muito importante avaliar todas as ações tomadas, perceber o que correu bem e o que correu menos bem na planificação e divulgação do evento e, mais do que isso, ouvir os seus participantes. Não se esqueça de fazer um inquérito de satisfação no final do evento e perceber o que o seu público gostou, o que não gostou e as sugestões que teriam para melhorar o seu evento. Afinal, apesar de estarmos no mundo digital continuam a ser as pessoas a dar vida ao nosso evento. Aproveite e faça o mesmo para os seus parceiros e expositores, pois o feedback deles é essencial para que possa melhorar a forma como se apresentam num próximo evento.

Pronto para tornar os seus eventos digitais nos melhores do mercado? Contacte-nos se precisar de ajuda para montar a sua estratégia!

Até breve! 😉

Rita Justo, press officer da Media em Movimento

Fontes:

Forbes

Moblee

Next Reality