A importância do Linkedin para catapultar o seu negócio

linkedin

Continuamos a falar sobre redes sociais e passamos agora das redes mais mainstream para o social media mais corporativo. Quando pensamos em relações corporativas, automaticamente vem-nos à cabeça o Linkedin. Não, esta rede social não serve apenas para recrutar – embora possa dar uma grande ajuda nesta tarefa. Vamos conhecer todas as suas potencialidades para o seu negócio?

O Linkedin foi criado em 2003 pelo empresário norte-americano Reid Hoffman com a missão de conectar profissionais de todo o mundo numa única rede corporativa. O sucesso gerado levou a que a Microsoft adquirisse o Linkedin em 2016. Segundo os dados mais recentes, esta rede social conta com mais de 575 milhões de utilizadores, dos quais 310 milhões estão mensalmente ativos – nada mau para uma rede profissional, não?

Apesar de não competir com as redes de massas no que toca ao número de utilizadores – como o Facebook, YouTube ou Whatsapp – alguma coisa o Linkedin fez bem para ser tão popular entre os profissionais – prova disso é que, recentemente, o Facebook também decidiu ‘copiar’ uma das suas features mais importantes, permitindo agora que as empresas também coloquem vagas de emprego online.

Mas não é só para anunciar vagas que serve esta rede social. O Linkedin pode ter um impacto gigante no que toca à boa reputação da sua empresa e vamos mostrar-lhe as melhores dicas para potenciar o seu negócio nesta rede.

Perfil profissional

O Linkedin é o espaço por excelência para divulgar todo o seu percurso profissional, empresas por onde passou, formação complementar e pode ser muito importante para um empresário que queira posicionar-se como autoridade no mercado. Além de funcionar como um verdadeiro CV, a partir desta rede social é também possível partilhar atualizações que sejam do interesse da sua área de negócio. Se o fizer, comentando-as, estará a mostrar ao mundo todo o seu know how e a impactar de forma positiva o seu negócio na medida em que melhora a perceção dos seus seguidores sobre o seu conhecimento numa determinada área e, consequentemente, a confiança deles no seu trabalho. Além disso, o Linkedin permite aos seguidores recomendarem competências ou mesmo deixarem uma recomendação por escrito sobre uma conexão. Imagine ter os seus clientes a recomendá-lo para a prestação de determinado serviço e o impacto que isso poderá ter para o seu negócio… Já está?

Página de empresa

As páginas de empresa, ou company pages, são semelhantes às páginas de gostos do Facebook. Atenção: não confundir página de empresa com perfil profissional no Linkedin. Muitos utilizadores não percebem a diferença e acabam por criar um perfil profissional para a empresa em vez de uma página de empresa. Um erro que pode custar caro na reputação de um negócio. Assim, para que perceba melhor, aqui fica uma cábula:

  • Perfil profissional – usado por pessoas;
  • Página de empresa – usado por empresas ou entidades.

Agora que já estabelecemos esta diferença, foquêmo-nos nas páginas de empresa: estas servem para que possa divulgar as atividades da sua empresa numa vertente mais institucional. A melhor forma de começar a dar tração à sua página de Linkedin é através dos seus colaboradores: dê-lhes a conhecer a página, peça-lhes que a sigam e que indiquem no seu perfil o local onde trabalham, bem como que partilhem o seu conteúdo. Os seus colaboradores são os seus melhores amigos no que toca à boa divulgação do negócio, se estes divulgarem a sua página, certamente chegará mais longe. Da mesma forma, poderá colocar o link para a sua página de Linkedin nos canais de comunicação da sua empresa – website, emails – de forma a gerar mais tráfego para a mesma.

É também através das company pages que é possível beneficiar de uma série de outras potencialidades do Linkedin, tais como:

  • Anunciar vagas de emprego;
  • Fazer campanhas de publicidade, mas já lá vamos.

Grupos

Os grupos corporativos são uma boa forma de juntar pessoas que estejam interessadas num determinado tema e compilar, num único espaço, informação que pode ser relevante para aquele público. Estes grupos não devem ser canais de publicidade – correndo o risco de rapidamente perder o interesse dos intervenientes –, mas sim de divulgação de conteúdo de interesse em determinado tema, criando uma discussão aberta e interação entre os seus participantes.

Anunciar vagas de emprego

É, de facto, para anunciar vagas de emprego que as pessoas melhor percecionam o Linkedin. Estes anúncios podem ser caros para o empregador, mas se feitos com a segmentação correta, permitem que mais facilmente tenha candidaturas dos potenciais colaboradores que realmente têm as competências de que está à procura. Através destes anúncios consegue definir:

  • Tipo de vaga;
  • Competências necessárias;
  • Localização em que quer que o anúncio apareça;
  • Definir o budget diário para o anúncio.

Segundo o Linkedin, nove em cada dez utilizadores estão abertos a novas oportunidades de trabalho, o que sustenta uma grande probabilidade de encontrar a pessoa ideal para a vaga que esteja a anunciar através desta rede social.

Campanhas pagas

Além dos anúncios de emprego, é possível, através do Linkedin Ads, fazer várias campanhas de marketing nesta rede social. Por defeito, esta é uma rede em que anunciar fica mais caro quando comparado com outras redes, mas o Linkedin argumenta que o seu nível de segmentação – seja por setor empresarial, por nível de experiência, cargo, entre outros – é superior ao de outras redes, tornando estes anúncios mais atrativos quando se pensa no seu resultado final.

Os anúncios podem ser dos mais variados tipos:

  • Promoção de atualizações do feed das páginas de empresa;
  • Mensagens na caixa de correio;
  • Anúncios de texto ou vídeo;
  • Formulário de geração de leads.

Para criar uma conta de Linkedin Ads deverá ter, tal como falado acima, uma página de empresa através da qual irá então fazer as suas promoções. Mediante os seus objetivos, o Linkedin pode ser um bom investimento de longo prazo na captação de novos clientes para o seu negócio.

Convencido sobre as potencialidades do Linkedin para o seu negócio? Contacte-nos para o ajudarmos a catapultar o seu negócio nesta rede social!

Rita Justo, press officer na Media em Movimento

Fontes:

Resultados Digitais

Kinsta

Search Engine Journal

Canaltech

PME Magazine – Pedro Caramez: Social CEO e Erros de uma empresa no Linkedin

Aporama

Luciano Larrossa

Compleo

Paulo Faustino